06/07/2017 - 11h07

Concurso Antares se engaja em iniciativa literária internacional para estimular a Economia Criativa

Por meio do Prêmio Cartoneiro, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Letras, trabalhos selecionados serão publicados em livros artesanais produzidos por voluntários da Associação Rim Viver.

Cartoneiro é nome de um movimento que ganhou o mundo e estimula a produção de livros de maneira artesanal. Dentro de uma perspectiva da Economia Criativa, a proposta reúne escritores, ONGs e demais entidades para desenvolver publicações de literatura, artes e sustentabilidade, a partir de um trabalho coletivo – e praticamente manual.

Na UCS, o termo “Cartoneiro” serve também para dar nome à segunda edição do Concurso Antares. Como na premissa do movimento mundial, a ideia é estimular as práticas criativas, fomentar a produção artística e intelectual, além de premiar os vencedores com a publicação dos trabalhos tendo como suporte os livros cartoneiros.

“Há um interesse especial de pesquisa sobre as periferias literárias, os movimentos alternativos. Ideias que basicamente repensam as relações no mercado editorial. A autopublicação e o livro artesanal estão fortes e é nesse contexto que se insere a segunda edição do prêmio”, explica a coordenadora do projeto, professora Alessandra Paula Rech.

Promovido no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Letras, o Concurso Antares – Prêmio Cartoneiro é abrangente. Até 25 de julho, escritores poderão inscrever seus trabalhos produzidos em Língua Portuguesa ou Espanhola. A premiação contempla três gêneros literários: contos, crônicas e poesias. “O alcance, com base na primeira edição, extrapola fronteiras. A expectativa é oportunizar a visibilidade de autores e, ao mesmo tempo, incentivar leitura e escrita”, explica Alessandra.

Além de atuar na coordenação do projeto, a pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Letras estuda justamente a Economia Criativa em suas vertentes com área literária. Como ela mesma explica, a lógica do movimento se estabelece por meio de parcerias. No caso do concurso, os textos selecionados vão compor uma obra cantoneira produzida por voluntários da Associação dos Renais Crônicos de Caxias do Sul – RIMVIVER. Além disso, serão concedidos certificados aos três primeiros lugares em cada categoria: poesia, crônica e conto. A comercialização irá beneficiará a entidade que produziu os livros.

“Talvez o avanço que o concurso estabelece seja esse: a possibilidade de repensar espaços para as letras na sociedade pós-capitalista, ou seja, em um momento em que a lógica do desenvolvimento precisa dar lugar, até por ser insustentável, a novos modelos, mesmo que de forma incipiente”, destaca a pesquisadora.

A avaliação dos trabalhos será realizada por meio de um grupo de avaliadores, que se reunirá posteriormente ao período de inscrições. Eles deverão trabalhar com a leitura prévia e debate posterior, para que se chegar à classificação dos melhores textos.

Fotos: Freepik e Arquivo Rim Viver

 

VOLTAR