14/06/2017 - 05h06

Doutoranda realiza pesquisa no Senegal e resultado pode ser conferido em exposição fotográfica

Para onde um projeto de pesquisa pode te levar? Para Juliana Rossa, doutoranda em Letras na Universidade de Caxias do Sul, o desejo por investigar as práticas religiosas de senegaleses residentes em Caxias do Sul a levou até ao Senegal. Durante cerca de quinze dias no mês de março, a pesquisadora passou por diferentes partes do país localizado na África Ocidental. O período serviu para ampliar o contato da acadêmica com a poética vocal dos cantos religiosos murides (muridismo é a fraternidade muçulmana praticada pela maioria dos senegaleses). Além da experiência e do estudo, Juliana criou uma exposição que estará aberta à visitação na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, entre os dias 20 de junho e 9 de julho.

No doutorado em Letras, a pesquisadora manteve sua proposta de estudar temas relacionados a processos migratórios, identidades e linguagens. No Mestrado em Letras e Cultura, ela já havia trabalhado com a identidade em blogs de brasileiros residentes na Itália. Agora, com o estudo realizado junto aos senegaleses, trava uma pesquisa alicerçada no contexto local que viu nos últimos tempos um fluxo migratório de africanos em Caxias do Sul.

–  Fiz muitas horas de etnografia aqui em Caxias do Sul e participei de vários eventos religiosos. Com a experiência no Senegal, pude confirmar a importância que a religião tem para eles - explica a doutoranda.

Cores do Senegal

A exposição fotográfica “Senegal, cores e cultura”, de Juliana Rossa, com curadoria de Marcia Marchetto, poderá ser conferida de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas, na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, a partir do dia 20 de junho.

Os registros de Juliana captaram aspectos não só da religião, mas também paisagens e o cotidiano dos senegaleses. A exposição conta com 20 imagens, de diferentes tamanhos, impressas em material especial. “O meu objetivo é revelar a beleza do povo senegalês, permitindo que as pessoas daqui conheçam um pouco do Senegal. Temos a presença de muitos imigrantes em Caxias do Sul, mas sabemos pouco sobre eles”, enfatiza a jornalista Juliana.

A curadora Marcia Marchetto, médica e amante da fotografia, aceitou o desafio de coordenar a exposição quando se deparou com uma das fotografias da viagem de Juliana, em que aparecem meninas com suas cabeças cobertas, sentadas em solo arenoso, com seus olhares curiosos em uma escola corânica. “Nesse conjunto de imagens que escolhi, busquei trazer um Senegal pouco conhecido, porém vibrante em suas cores e instigante em seus costumes, que, aos poucos, ecoa na nossa cidade”, destaca.

Duas fotos que integram a exposição, inscritas por meio do Clube do Fotógrafo de Caxias do Sul, foram classificadas para a XX Bienal de Arte Fotográfica Brasileira em Cores 2017, que está ocorrendo neste mês de junho em São José do Rio Preto (SP). De mais de 1,8 mil fotos inscritas, somente 150 foram classificadas.

VOLTAR